top of page

AMAMENTAÇÃO – PARTE 2

Como eu falei na semana passada, (se vc não leu pode acessar o conteúdo neste link: https://goo.gl/7YSyGu ), é muito fácil eu falar que não é para suspender o peito, verdade, pois a dor é muito individual, e só você sabe da sua própria dor. Por isso, hoje vamos tratar de questões importantes para que você saiba como lidar com as dificuldades da amamentação.


Pega do bebê

Pega do bebê é a forma de como o bebê suga o seio, ou seja, é a interação do bebê com o seio da mãe. Sabemos que uma adequada pega é extremamente importante para o sucesso do aleitamento materno. É importante que você observe alguns aspectos:

- Não deixe o bebê sugar apenas o bico do seio (mamilo), faça-o sugar o máximo possível da aréola (a área circular pigmentada em volta do bico do seio)

- Boca de peixe: É como chamamos a pega adequada, com a boca bem aberta e o lábio inferior invertido (virado para fora), queixo tocando o peito da mãe; aréola mais visível na parte superior que na inferior; língua do bebê deve envolver o bico do peito; dessa forma, a sucção realizada pelo bebê torna-se mais efetiva.

- Não há necessidade de ficar segurando o seio para que ele não cubra o nariz do bebê, mesmo em mães que possuem um seio bastante grande, cobrindo boa parte da face do bebê, não há risco de asfixia, aproveite essa mão para acariciar o seu bebê.

- Não há necessidade de higiene especial no seio para que o bebê mame.

- Importante que não aconteça muito barulho ao bebê sugar, pois quanto mais barulho, mais ar o bebê está sugando.

- As bochechas não devem ficar afundadas, como quando estamos sugando algo com força e sem muita efetividade. Elas devem ficar arredondadas.

- O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para a mãe e bem próximo (barriga do bebê voltada para o corpo da mãe). O bebê deve estar alinhado, a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo. A boca do bebê deve estar de frente para o bico do peito. A mãe deve apoiar com o braço e mão o corpo e o “bumbum” do bebê. Queixo do bebê tocando o peito da mãe.


Leite empedrado

[É o inchaço das mamas que acontece pelo acúmulo de leite, dando a sensação de estar sentindo os seios duros. Uma forma de evitar que o leite fique “empedrado” é colocar o bebê para mamar sob livre demanda, sempre que ele quiser. Se as mamas estiverem muito cheias, retirar o excesso (através da ordenha) e oferecer o peito com maior frequência. Tentar fazer compressas com água fria, pois água quente estimula a produção de leite.


Ordenhas

Como retirar o leite do peito: A mãe deve lavar bem as mãos, prender os cabelos; proteger a boca e o nariz com pano ou fralda; separar um recipiente com tampa e ferver por 15 minutos; massagear o peito com a ponta de dois dedos, iniciando na região mais próxima da aréola indo até a mais distante do peito, apoiando o peito com a outra mão; massagear por mais tempo as áreas mais doloridas; apoiar a ponta dos dedos (polegar e indicador) acima e abaixo da aréola, comprimir com movimentos rítmicos, como se tentasse aproximar as pontas dos dedos, sem deslizar na pele; desprezar os primeiros jatos e guardar o restante no recipiente.


Estoque de leite

O leite ordenhado pode ser refrigerado com segurança por até 24 horas ou após esse período ele pode ser congelado e pode ser utilizado por até 30 dias. Antes de alimentar o bebê com leite congelado aqueça em banho-maria. Ofereça o leite ao bebê com colher, copo ou xícara e lembre sempre de jogar fora o que sobrou.


Fissuras

São as rachaduras, normalmente ocorrem quando o posicionamento ou a pega estão errados. Como evitar: Manter os peitos secos, evitar que os seios fiquem cheios e doloridos; posicionar o bebê corretamente, observar a pega correta. Como tratar rachaduras: Começar a dar o peito pela mama sadia e depois passar para a mama com rachaduras; expor as mamas aos raios do sol ou à luz artificial (lâmpada de 40 watts a uma distância de 30 cm); Ordenhar manualmente o excesso de leite para evitar que o leite fique “empedrado”. Rachadura pode levar ao ingurgitamento (leite empedrado) e este à mastite.


Mastites

É quando acontece um bloqueio de algum duto de leite e não é desobstruído, o tecido mamário é infectado, deixando parte da mama vermelha, quente, inchada e amolecida. Sendo necessário atendimento médico e uso de antibiótico.


Espero ter ajudado!

Grande abraço,

Dr. Marcelo Saldanha

Pediatra




Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page